De acordo com os dados divulgados pela Eurostat, a taxa de desemprego subiu na Zona Euro para os 8,2 % e em Portugal para os 8,1 % no mês de Janeiro. Na Europa comunitária, há apenas quatro países com mais desemprego do que Portugal.

Em Portugal, a taxa de desemprego subiu de 7,9 % em Dezembro de 2008 para 8,1 % em Janeiro deste ano, contra os 7,7 % verificados em Janeiro de 2008.

Dados que colocam Portugal como o quinto país da Europa comunitária com mais desempregados. Números só superados pela Espanha, com uma taxa de 14,8%, Eslováquia (9,8%), Irlanda (8,8%) e França (8,3%).

FONTE: Jornal de Notícias

Anúncios

Os saldos começam no próximo domingo e os preços deverão cair cerca de 30%, podendo os descontos chegar aos 70%. Mesmo assim, a proximidade do início dos saldos com a época natalícia, não afastou os consunidores das compras. Os comerciantes esperam vender o que não conseguiram durante a época natalícia.

Os saldos começam no dia 28 de Dezembro e prolongam-se até 28 de Fevereiro.

FONTE: Jornal de Notícias

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego cresceu 2,9 por cento em Novembro, face ao mesmo mês do ano de 2007, prolongando a tendência de aumento iniciada em Outubro e registando a subida mais alta de há três anos.

De acordo com dados divulgados hoje pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), em Novembro, estavam registados nos centros de emprego 408.598 desempregados, mais 11.406 que no mesmo mês de 2007 e 1,9 por cento (ou 7.784) acima do observado em Outubro.

Para o aumento do número de desempregados inscritos nos centros do emprego em relação a Novembro de 2007 contribuíram, essencialmente, a subida do desemprego entre os homens (mais 9,3 por cento), entre os jovens (mais 1,1 por cento) e adultos (mais 3,2 por cento).

Além disso, cresceu também o número de desempregados à procura de novo emprego (mais 4,1 por cento).

Os desempregados com o 3º ciclo do ensino básico foram o grupo em que o desemprego mais cresceu, com uma variação de 9,6 por cento.

O aumento de 10,5 por cento nos desempregados de curta duração é outro dos factores de agravamento da situação.

O IEFP informa ainda que o aumento do desemprego se fez sentir mais em sectores como a construção, onde registou um acréscimo de 25,3 por cento.

No final de Novembro, o número de ofertas de emprego era de 16.714, mais 11,7 por cento no período homólogo, mas menos 4,8 por cento que no mês anterior.

FONTE: SOL

De acordo com um inquérito divulgado hoje pela Comissão Europeia, os portugueses são os europeus mais apreensivos com a situação económica tanto na Europa, considerada positiva por apenas 11 por cento dos inquiridos, como a nível mundial (7 por cento).

Os primeiros resultados disponíveis do Eurobarómetro de Outono, realizado entre Outubro e Novembro na União Europeia, revela que a crise financeira que «estalou» em Setembro afectou bastante a percepção dos cidadãos europeus relativamente à situação económica.

Para continuar a ler a notícia carregue aqui.

FONTE: SOL